Fechamento do Café – 8 de março

Café tem quinta-feira de estabilidade no Brasil

O mercado brasileiro de café teve uma quinta-feira de estabilidade. Os compradores apareceram um pouco mais para as negociações, mas a comercialização seguiu centrada em cafés mais fracos de qualidade. O ritmo segue lento no mercado.
 
Nova York
 
As operações para o café arábica na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) encerraram o dia com preços mais baixos. As cotações recuaram diante da valorização do dólar contra o real e outras moedas. As perdas do petróleo contribuíram para o desempenho baixista.
 
Entretanto, mais uma vez o mercado encontrou suporte na importante linha de US$ 1,20 a libra-peso, fechando acima desse patamar. O mercado carece de notícias fundamentais para romper essa linha e "afundar" mais. O mercado já precificou uma grande safra brasileira em 2018.

Londres

Na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe), as operações com café robusta foram encerradas com preços mais baixos. A queda está associada às perdas do arábica em Nova York e ao declínio do preço do petróleo.

Café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) – em cents por libra-peso
Café robusta na Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres (Liffe) – em US$ por tonelada
Café no mercado físico – R$ por saca de 60 kg

Fonte: Safras & Mercado

Dólar e Ibovespa

O dólar comercial fechou a negociação em alta de 0,64%, cotado a R$ 3,263 para compra e a R$ 3,265 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,24 e a máxima de R$ 3,267.

O Ibovespa encerrou em baixa de 0,58%, aos 84984,61 pontos. O volume negociado foi de R$ 11,087 bilhões.