Conheça o mundo Tokusatsu

Durante os 80, as séries japonesas com robôs e monstros gigantes, lutas intensas e efeitos especiais se tornaram febre e chamaram atenção do público brasileiro. Alguns seriados se tornaram clássicos e os personagens são ícones importantes da cultura pop até hoje.

Chamadas tokusatsu, (abreviação de tokushu kouka satsuei, ou filmes de efeitos especiais, na tradução para o português), o gênero engloba filmes e séries live-action que fazem uso intenso desses efeitos. Os temas mais recorrentes são ficção científica, fantasia, terror e super-heróis, todos carregados de muita ação e aventura. Alguns dos tokastsu mais conhecidos são Godzilla, Super Sentai, Metal Hero e Giant Robo.

O gênero existe desde os anos 60 no Japão, mas não é tão conhecido fora da Ásia. No Brasil, séries tokusatsu só chegaram nos anos 80, mas foram fenômeno entre os adolescentes até meados dos anos 90

Origem

O tokusatsu nasceu no teatro japonês e tinha duas vertentes. No kabuki, os efeitos eram usados nas cenas de luta e ação e o bunraku adotou as primeiras formas de efeitos especiais, especialmente com o uso de bonecos. Na televisão e no cinema, o gênero apareceu com o monstro Godzilla, em 1945.

O filme é obra do artista de efeitos especiais Eiji Tsuburaya e do diretor Ishiro Honda, que revolucionaram o gênero e criaram algumas técnicas que são usadas até hoje. Os dois desenvolveram a adequação, que é o uso de um ator em uma fantasia para dar os movimentos e interpretar o personagem, além de usar réplicas e miniaturas de cidades, para dar o ilusão de que o monstro é realmente gigante e pode destruir tudo por onde passa.

Para interpretar Godzilla, o ator Haruo Nakajima se voluntariou para usar a fantasia do monstro e se aposentou do papel em 1972, com o filme Godzilla vs Gigan. Como a fantasia era uma invenção recente, ela era dura, abafada, pouco articulada e estranha. A equipe de produção teve que adequar o modelo e o design da roupa diversas vezes até chegarem no modelo final, usado no filme. Apesar dos esforços, o ator ainda teve dificuldades em usar a fantasia e chegou a contar que ficou desidratado e, para evitar ficar sufocado na roupa, só conseguia usá-la por no máximo três minutos em cada gravação.

O filme também surpreendeu na história, já que não era só um longa sobre um monstro maligno invadindo e destruindo uma cidade, mas era um filme sobre os perigos das armas nucleares visto por um país que sofreu dois ataques com bombas atômicas nos anos 40. O monstro gigante acabou abrindo espaço no cinema em um gênero que era dominado por produções norte-americanas e pouco conhecia trabalhos asiáticos.

Godzilla foi o precursor do kaiju, um dos sub-gêneros do tokusatsu que usa monstros e criaturas gigantes, que geralmente atacam e destroem cidades ou brigam com outros monstros. O filme deu início ao Monster Boom no Japão, fazendo com que mais monstros aparecessem, liderassem o mercado e tornassem o gênero popular.

A era de ouro

Os anos 50 são considerados a era de ouro para o tokusatsu no cinema e na televisão japonesa. A década popularizou o gênero e foi marcada pelo surgimento dos heróis nas produções, além da criação das seis maiores empresas na indústria: Daiei, Nikkatsu, Toei, TOHO, Shochiku e Shintoho.

O primeiro super-herói a aparecer foi o Super Giant, em 1957. Na história, o personagem era criado com ferro e tinha como missão defender a paz no universo, mas seus maiores conflitos aconteciam na Terra.

Os heróis já eram populares nos cinemas japoneses, mas eles ainda não eram sucesso na televisão. No final dos anos 50, a televisão ainda não tinha uma boa qualidade técnica e a programação não era tão atrativa. Para mudar esse cenário, os estúdios lançaram os seriados de Moonlight Mask, 7-Colored Mask e Astro Boy.

O sucesso de Moonlight Mask foi tanto que o seriado teve 131 episódios, seis filmes, virou mangá e ganhou uma versão em anime.

Moonlight Mask

Os maiores sucessos

Esquadrão Relâmpago Changeman

O Esquadrão Relâmpago Changeman era um grupo de cinco integrantes do exército dos Defensores da Terra, que combatiam o mal e eram banhados pela Força Terrestre, fazendo com que cada um tivesse um poder especial de um animal lendário: Dragão, Grifo, Pégaso, Sereia ou Fênix

Jaspion

Um dos maiores sucessos dos anos 80 no Brasil, Jaspion fez os brasileiros se apaixonarem por séries e filmes japoneses. Na série, o herói usa uma armadura especial para lutar e combater o mal

Black Kamen Rider

A série ganhou popularidade e fãs fieis ao ser exibida na Sessão Super Heróis, da extinta TV Manchete. A série tinha uma temática mais adulta e mais dramática que os outros tokasatsu da época, o que fez com que ganhasse mais popularidade e fãs fieis que as de mais

Jiraya - O Incrível Ninja

Diferente das outras séries, em que os heróis tinham poderes ou armaduras poderosas, Jiraya não era super poderoso. Na história, o personagem perdeu os pais cedo e foi treinado para ser um ninja pelo pai adotivo. O mundo dos ninjas nunca tinha sido explorada antes no gênero, o que foi um atrativo e um dos grandes diferenciais da série

Jiban — O Policial de Aço

O Policial de Aço chegou nas telinhas brasileiras no começo dos anos 90 e conta a história de Naoto Tamura, o Jiban, que combate monstros da organização Biolon, liderada pelo perverso Doutor Jean Marrie

Ultraman

Ultraman foi o segundo seriado exibido em cores na televisão japonesa, em 1966, e o sucesso foi tão estrondoso que ganhou uma franquia de séries e filmes.

No seriado, um alienígena se choca com a nave do oficial Shin Hayata, da Patrulha Científica enquanto perseguia um monstro Bemlar. No acidente, Hayata morre, enchendo o alienígena de culpa. Para tentar corrigir o erro, o alienígena funde sua energia vital com Hyata, que o traz de volta e faz com que ele ganhe super poderes. O oficial consegue se transformar em Ultraman e usa os novos dons para proteger e salvar a Terra